quinta-feira, 20 de julho de 2017

Lei do voto impresso não será cumprida

Por Almir M. Quites


Para a próxima eleição presidencial, por determinação da Lei nº 13.165/2015, a "urna eletrônica" (que na verdade não é urna, mas um computador) deveria imprimir o voto e, após a conferência e a concordância do eleitor (sem que este toque no voto), depositá-lo numa urna de verdade para que a apuração eletrônica pudesse ser conferida por contagem manual, aos olhos de fiscais. Mas, como as leis do Brasil não valem para os poderosos, sabia-se que não valeria para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Caro Leitor, eu já sabia que a Lei do Voto Impresso não seria cumprida. Várias vezes, em meus artigos (neste Blog), afirmei que o TSE daria um jeito de não cumprir a Lei, assim como não cumpriu em três vezes anteriores, sendo a primeira em 2002. Desde muitos anos, já estava evidente que o TSE não queria (e ainda não quer) que a apuração eletrônica seja conferida. Em 2009 tudo se repetiu. A Lei Nº 12.034, de 29 de setembro daquele ano, determinou que o voto impresso entraria em vigor a partir das eleições de 2014, mas isto não aconteceu. Agora já está confirmado que o TSE, outra vez, não vai cumprir a Lei na eleição de 2018.

Há cerca de dois meses os ministros do TSE e do STF foram apresentados ao novo modelo de urna que imprime o voto e se impressionaram com o novo "design", mas não foram capazes de ir mais a fundo na questão, contentaram-se apenas com a aparência. O ministro do STF, Luís Roberto Barroso, não se interessou em saber porque a urna tipo DRE ("Direct Recording Electrocnic") não é oficialmente aceita em nenhum país do mundo, exceto no Brasil, mas afirmou que a adoção do sistema de "voto impresso é um retrocesso".

Sim, caro Leitor, o novo modelo de urna imprime o voto, só que só será usado como teste nas eleições 2018. Apenas 35 mil urnas desse novo modelo serão utilizadas no próximo pleito, o que significa 6% do total. Deste modo, a lisura da apuração eletrônica não poderá ser verificada, porque só 6% das urnas eletrônicas imprimirão o voto de verificação. Só estas urnas não poderão fraudar a contagem dos votos, porque a recontagem de conferência será possível, mas todas as outras, 94% do total, continuarão sem possibilidade de verificação, como sempre foi. Pergunto, isto é respeitar a Lei nº 13.165/2015? Óbvio que NÃO!

Na eleição de 2016 o novo sistema já deveria ter sido implantado e não foi! O TSE não cumpre a Lei e fica tudo por isso mesmo. 

No vídeo a seguir você verá o ministro Gilmar Mendes desejando não ter que implantar o novo sistema para todas as urnas. Ele disse (no vídeo) : "estamos discutindo com o Congresso se é possível atrasar ou se é necessário mesmo fazer essa modificação". A grande dúvida de ministro é: será necessário cumprir a lei? Como esta dúvida tão cruel persistirá, então, nós teremos que esperar por 2020?!

Veja o vídeo: 
====


O pior é que não duvido que o sistema de voto impresso, já suficientemente testado em outros países do mundo, "falhe" no Brasil e cause transtornos na eleição de 2018. Repito, não duvido, porque então terão fabricado um motivo definitivo para enterrar de vez este projeto! Até os eleitores brasileiros vão acreditar que o sistema de voto impresso era mesmo um retrocesso, como disse o ministro Barroso, repetindo o que Gilmar Mendes também dissera.

O vídeo abaixo mostra que a senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS) entende o que é o voto impresso, mas mostra-se leniente, tolerante, com o fato da lei não ter sido cumprida. Se só 6 % das urnas imprimirão o voto, é evidente que isto não é garantia alguma contra fraudes. Veja: 
====


Só o Brasil acredita na urna eletrônica tipo DRE.
Veja! 
Nota: O que este vídeo expõe é válido e verdadeiro, mas peço desculpas ao leitor porque ele contém algumas grosserias, não apenas desnecessárias, mas também contraproducentes à causa que defende.
====

Vale recordar o que houve em 2014. 

Você se lembra daquela entrevista de 17 de junho de 2014, antes da eleição da Dilma Rousseff, na Globo News, feita pelo jornalista Alexandre Garcia com o presidente da época do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Tofolli? Lembra?

A urna biométrica já havia mostrado sua inutilidade com seus 7 a 8% de falso positivo e Tofolli se fazia de bobo. A Smartmatic já estava contratada e a postos para o caso do "diferencial delta" não ser suficiente e Tofolli dizia que a apuração se fazia sem influência humana. Ele não sabia que o software é feito por humanos e que a urna só o obedece! Haja falsidade!

Pois é! Na época, fiquei indignadamente perplexo! Já dava para perceber que haveria fraude na apuração eleitoral de 2014!

Vejam o porquê aqui, neste artigo que foi escrito no dia seguinte ao da entrevista, portanto muito antes da eleição. Basta clicar aqui:
URNAS ELETRÔNICAS E O SONO BRASILEIRO

Compartilhe! Este assunto não deve ser esquecido.


𝓐𝓵𝓶𝓲𝓻 𝓠𝓾𝓲𝓽𝓮𝓼


♢《 compartilhe 》♢°`

Mais artigos deste blogue ("weblog")
Clique sobre o título.
  1. O país do avesso
  2. Diagnóstico e prognóstico do Brasil
  3. Lula é condenado
  4. Estado que envergonha os cidadãos!
  5. Meu maluco Brasil
  6. Circo e realidade
  7. E agora, cidadãos brasileiros?
  8. República Federativa do Brasil x Organização criminosa
  9. O TSE é o centro dos problemas
  10. Que vexame este julgamento do TSE!
  11. Intervenção militar, não!
______________________________________________________
Aviso sobre comentários 
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
______________________________________________________
 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM 
USE OS BOTÕES ABAIXO

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O país ao avesso

Por Almir M. Quites

Tudo está muito mudado! Está ridículo, caricato, mas também cômico! 

Antigamente havia a Constituição da República Federativa do Brasil e já no primeiro artigo estava escrito que todo o poder emanava do povo, que o exercia por meio de representantes eleitos. Agora...

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Diagnóstico e prognóstico do Brasil

Por Almir M. Quites



Fazer diagnóstico e prognóstico do Brasil não é fácil e nem dá para ser abrangente. Não importa, tento!

PT e PMDB foram aliados nos 13 anos da era petista. Ambos tinham seu pedaço no latifúndio político para explorar ao máximo. 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

LULA É CONDENADO

Por Almir M. Quites




O índice ibovespa subiu e o dólar despencou após Luiz Inácio Lula da Silva ser condenado pelo Juiz Sérgio Moro. É a primeira vez na história do Brasil que um ex-presidente é condenado por corrupção.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Estado que envergonha os cidadãos

Por Almir M. Quites

Acho uma vergonha que se pretenda absolver Temer sob o argumento de que a gravação do Wesley Batista teria sido obtida de modo ilícito

Diferenças culturais e xenofobia

Por Almir Quites

O texto abaixo circula na internet. 

Primeiro vou apresentá-lo na íntegra, tal como recebi, pelo Facebook. Leia! Depois, apresentarei o meu comentário. Gostaria de conhecer a sua opinião!

sábado, 8 de julho de 2017

Meu maluco Brasil

Por Almir M. Quites


Tal como no "País das Maravilhas” das Aventuras de Alice (de Charles Lutwidge Dodgson, publicada a 4 de julho de 1865), o Brasil tem vivido para lá do limiar entre a sanidade e a loucura. Num país assim, verdades evidentes não são percebidas. A fantasia oblitera os fatos.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Circo e realidade

Por Almir M. Quites



Amigos, sempre alerta! Não é fácil distinguir entre o circo e a realidade.

Repentinamente surgiram muitas postagens nas redes sociais insinuando que o Supremo Tribunal Federal (STF) está defendendo o Estado Democrático de Direito! Suspeito que isto é uma manifestação organizada! As aparentemente caóticas decisões dos ministros togados podem ser propositadamente diversionistas e com o objetivo bem determinado de garantir a impunidade dos integrantes da Organização Criminosa (OrCrim) e de fortalecer o "Estado Delinquente".

domingo, 2 de julho de 2017

Cantochão do corrupto

Por  A. M. Quites


Amigos, leiam abaixo o que recebi de um amigo e colega há 4 anos. Uma análise, a meu ver, corretíssima, um primor! Depois, no final, faço meu comentário. Leiam!
-------

O emburrecer da universidade brasileira

Por Almir Quites e José João de Espíndola

Recebi este texto, escrito pelo jornalista J. Liberal, via e-mail de meu colega José João de Espíndola (UFSC) juntamente com alguns comentários seus. Por ser de grande importância, resolvi republicá-lo aqui. 

quarta-feira, 28 de junho de 2017

PSDB no muro bambo

Por Almir M. Quites



Fernando Henrique Cardoso (FHC), que já teve seu lugar na História com o sucesso do Plano Real. Hoje, parece desesperado por alguma razão. Diz muitas sandices! Disse, por exemplo, que, se o presidente Michel Temer for deposto, o seu substituto constitucional seria ilegítimo, porque o seu poder emanaria "de um Congresso que também está em causa". Ao mesmo tempo, FHC pede que Temer, um presidente sem credibilidade e denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF), envie uma PEC ao Congresso "que está em causa" (segundo suas próprias palavras), para convocar eleições diretas para presidente antes da data prevista, em 2018. Assim, ele quer mudar a Constituição de forma ilegítima! O que há por trás disso tudo?

domingo, 25 de junho de 2017

E agora, cidadãos brasileiros?

Por Almir M. Quites


No dia 11 de maio de 2016, portanto antes da posse do Presidente Michel Temer como presidente interino, publiquei em meu blog o artigo intitulado 

Os fatos que presenciamos hoje contrastam com aqueles que acalentavam nossas esperanças. Por isto, reli este meu artigo e agora o comento. 

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa