segunda-feira, 5 de junho de 2017

A desvirtude também está no meio

Por Almir M. Quites
O conhecido "cientista político" (aspas, porque política não é ciência) Bolívar Lamounier publicou, no final de semana (03/06/2017), um artigo [Nota 1] intitulado A IRA CONTRA FERNANDO HENRIQUE NUMA PARTE DA CLASSE MÉDIA.
Lamounier não concorda com esta "ira irracional" (na visão dele), pois entende que ela derive de um raciocínio simplório: "certas pessoas só conseguem conceber a política a partir de dois extremos e curiosamente passam de um ao outro com a maior facilidade" (palavras dele). Lamounier argumenta que "todo político que se preze sente a densidade do meio termo e orienta suas ações em função dele. Atua de forma conflituosa quando defende os interesses de um setor qualquer da sociedade, ou quando afirma a posição de seu partido, mas não destrói pontes". Enfim, para Lamounier, "Fernando Henrique não vê como o Brasil possa se desenvolver com duas forças políticas se enfrentando num clima de perpétua virulência". Para ele, aqueles que se desiludem de Fernando Henrique Cardoso (FHC) nada entendem de política! Agora, comento eu, eu que também compartilho da desilusão atribuída à classe média e que também não aceito a virulência. Respeito mas não concordo com os argumentos apresentados. Não pretendo me alongar neste assunto. Quero apenas ressaltar que o povo brasileiro deseja ardentemente uma mudança profunda no sistema político,
  • que acabe com as mordomias e privilégios da classe política; 
  • que produza um sistema muito mais justo e honesto; 
  • que faça da política um campo fértil à germinação de novas lideranças; e 
  • que torne a apuração eleitoral transparente, portanto auditável e confiável. 
Garanto que estas são aspirações de todas as pessoas honestas e não apenas da classe média. Quem gravita o "meio termo" de Lamounier não colabora com esta mudança. Quem faz isto está justamente procurando o caminho mais fácil para si mesmo; está tratando de evitar conflitos. Em questões que ferem a ética e a moralidade pública, não há negociação aceitável, pois há um muro inexpugnável entre as partes. Neste caso, quem fica em cima do muro é tão abominável como quem pretenda jogar dos dois lados. É falsa a premissa de que "a virtude está sempre no meio". Ela pode estar em qualquer parte do extremamente complexo espectro político. O Bolívar Lamounier esqueceu que o tempo passou, que os políticos decepcionaram e que a crise atual é tão profunda (incomparável com a dos anos 90) que os brasileiros já não têm esperanças. Não há mais tolerância com ambiguidades. Eu, por exemplo, não tolero políticos que abracem notórios bandidos como Fidel Castro, um facínora que se adonou de um país, ou como Lula. Para mim, isto é imperdoável. Sinto repulsa quando vejo uma cena destas! Sinto-me traído na raiz dos meus princípios morais. Este é um sentimento legítimo que, em política, não deveria ser desprezado simplesmente por não estar na faixa entendida como mediana pelos analistas. Qualquer político que desconsidere estes valores, apenas para ficar num discutível meio termo, não me representa. Fernando Henrique Cardoso não é solução para o Brasil. Não acredito que, com ele no governo, teríamos algo muito melhor do que com o presidente Temer. Parece-me que os vícios políticos de ambos não diferem muito. Lamounier pensa diferente, mas deveria valorizar o pensamento divergente ao invés de prontamente classificá-lo como equivocado, próprio de quem "não entende de política". Se política fosse ciência, poderíamos descartar os eleitores. Bastariam os cientistas.

A "bunda-moleza" (aspas, porque atrevidamente inovo no jargão popular) atribuída ao ex-presidente Fernando Henrique não é algo novo, mas de muitos anos. Em 2015, há 2 anos, profetizei que o PT e o PSDB morreriam abraçados. A razão desta profecia era justamente o fato do PSDB sempre ficar em cima do muro, mesmo diante das maiores barbaridades cometidas pelos governos petistas. As decisões do PSDB sempre ficam "PSDependendo" de algo.
Veja aqui:
PT e PSDB morrerão abraçados
http://almirquites.blogspot.com.br/2015/04/pt-e-psdb-morrerao-abracados.html O problema brasileiro vai muito além da crise econômica. Esta é a consequência do sistema político esclerosado e incapaz de se autocorrigir. Precisamos de uma profunda renovação dos políticos e da política. A organização criminosa que se adonou do Brasil trata de impedir esta renovação e quer para si o privilégio de escolher os próximos mandatários do país.
____________________
[Nota 1] Fonte: https://www.facebook.com/search/top/?q=Bol%C3%ADvar%20Lamounier#
□■♢《 AMQ 》♢■□°`

Mais artigos deste "blog" ("weblog")
Clique sobre o título.
  1. Dava para saber
  2. A única saída da crise institucional
  3. Delações premiadas e conspirações criminosas
  4. Prescrições reiteradas
  5. O escândalo é muito maior
  6. Mau Estado de Consciência Política e Institucional
  7. Presidente Temer: renúncia os cassação?
  8. Temer encrencado
  9. O Brasil só patina e afunda
  10. Intervenção militar, não!
______________________________________________________
Aviso sobre comentários 
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
______________________________________________________
 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM 
USE OS BOTÕES ABAIXO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa