domingo, 5 de março de 2017

O Embuste da Intervenção Militar

Por Almir Quites 



? ❔❔ INTERVENÇÃO MILITAR ❔❔?

Há uma angústia sufocada nos corações brasileiros e também há uma emboscada no meio do caminho. Há patriotas caindo nesta armadilha!

Muitos patriotas, como eu, querem se manifestar fortemente contra a corrupção e criar um clima que produza mudanças profundas, com o objetivo de produzir instituições mais justas e que garantam o efetivo controle e responsabilização dos governantes e demais políticos. No entanto, SEM a INTERVENÇÃO MILITAR que outros patriotas defendem, a qual seria um risco muito grande, com grande chance de produzir a volta dos comunistas ao poder. 

Eu entendo que os intervencionistas têm exibido um radicalismo muito próximo daquele que é característico dos petistas, o que não ajuda a causa patriótica, apenas nos divide.

A Intervenção Militar destruiria todas os esforços dos patriotas que produziram a Operação Lava-Jato e suas congêneres. Duvido que Juízes (
com jota maiúsculo), como Sérgio Moro, aceitassem continuar trabalhando sob um regime militar, sem a legitimidade que as instituições lhes conferem! 

A atuação do juiz Sérgio Moro e dos procuradores e policiais federais da Operação Lava Jato é citada, em conferências internacioais, como um exemplo para o mundo de eficiência no combate à corrupção. É o que temos de melhor no país de hoje e é o que pode salvar a nossa pátria. Não coloquem abaixo, num impulso irrefletido, toda esta magnífica construção que encarna nossas mais saudáveis esperanças. 

Convém lembrar que, numa ditadura militar, o Judiciário é o mais frágil dos poderes, porque seu poder deriva unicamente da legitimidade das instituições. Num regime militar, os juízes probos, incorruptíveis, afastam-se por moto próprio ou são afastados por ato arbitrário. Restam apenas aqueles vocacionados para capangas.

Se tivermos uma intervenção militar no Brasil, estaremos numa situação muito similar a da atual Venezuela, na qual os militares dão todo o apoio ao ditador Nicolás Maduro e o Judiciário está completamente dominado. A própria Assembleia Nacional venezuelana foi proibida, pelo poder judiciário, de julgar a responsabilidade do ditador socialista na grave crise econômica, política e institucional na qual o país se encontra. O Judiciário está cooptado pelo chavismo, "bate continência" e submete-se às forças armadas.

Não se deve descartar a hipótese de que a nova estratégia da auto denominada  "esquerda" seja a mesma que foi aplicada por Hugo Chávez na Venezuela, ou seja, assumir o poder pelo voto e aplicar um "auto golpe". Um militar no poder pode dizimar um país com intensa propaganda, aliada à censura e à repressão, como faz qualquer governo totalitário.

Agora imagine, apenas imagine e responda a seguinte questão: o que aconteceria se, na melhor das hipóteses, a Intervenção Militar fosse efetivada e, por felicidade, se revelasse absolutamente contra esses que se autodenominam de “progressistas” e que ainda repetem que o impeachment de Dilma foi golpe? Imaginou? Os militares, no poder, teriam que enfrentar esta crise sem precedentes na história brasileira. Acredito que seria o melhor dos mundos para os esquerdistas. O governo Militar, não conseguiria nos tirar desta profunda crise sem um grande sacrifício da população. É quase certo que os militares não saberiam lidar com isso. Ainda que os governantes militares fossem todos muito honestos e bem intencionados, ainda assim, seriam odiados pela população. Então, os "progressistas de ficção" se deliciariam posando de vítimas, fariam um carnaval fantasiados de "guerreiros pela democracia" e, assim, garantiriam décadas de vitórias eleitorais. Isto já aconteceu no Brasil!

Entendo que a profunda desesperança que aflige os brasileiros é o que leva muitos a defender a perigosíssima Intervenção Militar. Porém é justamente nos momentos mais difíceis que se precisa de ponderação. O desespero é um péssimo conselheiro.

Para esclarecer melhor meu pensamento, sugiro que o leitor siga lendo aqui:



☆☆☆☆☆☆☆☆ Divulgue ☆☆☆☆☆☆☆☆


Mais artigos deste "blog" ("weblog")
Clique sobre o título. 
  1. Hoje é Carnaval
  2. Não ponham a culpa nos eleitores
  3. O Governo Temer já decepcionou
  4. Medo, hipocrisia e explosividade social
  5. Teori Zavascki e as hipóteses conspiratórias
  6. Estado gigante e governo acanhado
  7. As dentadas do Leão
  8. A macabra estampa da crise
  9. Fundamental é ir às raízes dos problemas brasileiros
  10. Presidencialismo de rabos pesos
  11. O "constitucionalista" e a Constituição
  12. Política e decepções pessoais
  13. Submissão ou ignorância do STF
  14. Banalização da Improbidade
  15. A insustentável leveza da hipocrisia
  16. Foro privilegiado e irresponsabilidade
_____________________________________________________________
Aviso sobre comentários:
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!

Volte sempre!
_____________________________________________________________

 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM   
 USE OS BOTÕES ABAIXO 

7 comentários:

  1. Não concordo com o texto... O Brasil PRECISA urgente de uma intervenção militar para salvar nossa soberania. De outra forma, essa quadrilha que desgoverna o país não irão sair, continuarão LESANDO a nação.
    Quanto a chamar o Regime Militar de Ditadura, pelo visto, o autor não viveu o Regime Militar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já era professor universitário em 1965. Em 1964 já tinha 22 anos. Acho que foi você que não viveu o período da Ditadura Militar. Já esqueceu o maior movimento político de repúdio a um governo na História do Brasil? Já esqueceu do DIRETAS JÁ? Ninguem aguentava mais aquele regime que oprimiu a sociedade brasileira durante 22 anos! Foi muita propaganda mentirosa (o tal "Milagre Econômico", junto com censura e repressão (com prisões arbitrárias, tortura e assassinatos. Eleições foram canceladas, parlamentares foram cassados, prefeitos e governadores também, empossaram parlamentares biônicos (era assim que chamavam os parlamentares que eram colocados lá pela ditadura, sem eleições), também empossaram prefeitos e governadores biônicos. Substituíram a Constituição por ATOS REVOLUCIONÁRIOS (que hipocritamente chamavam de ATOS INSTITUCIONAIS). E você vem me dizer que não houve DITADURA?

      Excluir
  2. Almir, o brasil precisa mudar as regras e não os jogadores , porem para mudar as regras precisamos parar a partida. A zona de conforto que estão nossas autoridades (nossos jogadores) apontam para nao terem interesse em mudar a regra e reiniciar o jogo.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Galdino, democracia não é jogo de futebol! A forma democrática de mudar as regras do jogo estão previstas na Constituição Federal. Se os poderosos dificultam ou impedem que isto ocorra, o caminho é a DESOBEDIÊNCIA CIVIL, a qual é internacionalmente aceita como legítima e legal. Trata-se de um movimento pacífico (pacífico!) que já foi usado em muitos países do mundo, inclusive nos EUA. Recorrer a militares é recair no mesmo erro de 1964. Naquela época os militares também juravam que seria uma intervenção passageira (mas durou 22 anos).Intervenção militar no governo federal não é constitucional, é GOLPE! Dizer o contrário é mentir. Vamos ficar repetindo indefinidamente os mesmos erros. Antes de 1964, o Brasil estava bem melhor no ranking do desenvolvimento humano.

      Excluir
  3. Gostei muito dos artigos. Até desejei a intervenção e, vou ser sincero, ainda desejo,porém, por motivos emocionais, talvez por desespero como você está dizendo, mas, no fundo sei que você tem razão. A gente chega a desejar até uma revolução armada popular liberal, mesmo sabendo que ela pode acabar como a Síria ou como o Continente Africano, já que guerras civis tem data certa apenas para começo, mas depois, ninguém tem mais o controle sobre elas. Só sei de uma coisa, posso não saber a solução certa, mas conheço a fundo os problemas e sou afetado por eles e, precisamos, diminuir o tamanho do Estado e da tributação, organizar e enxugar o entulhamento jurídico de 6 milhões de leis, diminuir as proibições e obrigações, despesas estatais e tributação (sai mais barato eu comprar uma casa nos EUA do que aqui, como também montar uma fábrica de confecções lá, mesmo com o câmbio e isso é graças à super-tributação). Facebook George Ferraz. Valeu meu caro, continue com suas postagens.

    ResponderExcluir
  4. Nunca li tanta merda junto
    Vc só pode ser comunista
    Esses seus destaques em vermelho falam por si só
    Vc se acostumando pq o Brasil vai mudar !

    ResponderExcluir
  5. Parabéns muito bem espricativo ler bastante é ser informado nunca é demais. Sempre quis a intervenção constituinte acho ela melhor para o nosso país. Sou fã número um Dr.Celio Evangelista Ferreira acho ele um talento bastante inteligente. Leio sempre as postagens dele é as gravações. A lava jato todos merece elogios fazem um trabalho brilhante. Nã gosto do STF-TGE é mais alguns que não cumprem a constituição. O povo brasileiro não merece o que está acontecendo é muitos roubos precisamos de um Brasil melhor sem corrupção com ordem e progressos.

    ResponderExcluir

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa