terça-feira, 28 de outubro de 2014

SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO SOB SUSPEIÇÃO

A. Quites - 27/10/2014

Quem elegeu a Presidente? 

Quem? Foi o Povo ou o Diferencial Delta?

Por mais crimes que os governantes cometam, parece que o povo não reage. Pelo menos, as pesquisas de opinião não detectam qualquer rejeição popular! O que precisa mais? Ou o povo brasileiro está maluco, ou a mídia, os institutos de pesquisa de opinião (como Ibope e Datafolha) e o sistema eleitoral são manipulados? Estarão as pesquisas de opinião a serviço do governo? Serão elas que preparam o povo para aceitar o resultado que as urnas eletrônicas vão fabricar? 

Num país que utiliza este tipo de urna eletrônica, na qual a contagem dos votos é secreta, estas dúvidas são legítimas, pertinentes e necessárias. Se quisermos cuidar de nossa democracia, então estas suspeitas não podem ser afastadas de plano. É o que se faz quando se suspeita de uma doença com nossos filhos, imediatamente procuramos ajuda. É o que devemos fazer com a nossa querida, jovem e frágil democracia!

Muita coisa parece estar errada no nosso sistema eleitoral, mas parece-me que a mais importante e decisiva é a urna eletrônica, a qual pode fabricar resultados falsos sem que a fraude possa ser detectada. Se for este o caso, um candidato de oposição não poderá superar o Diferencial Delta 
(desvio incluído no software, que transforma votos válidos em nulos e nulos em votos válidos para o candidato do governo).

Não consigo ignorar os escândalos que há 12 anos estão eclodindo no Brasil e as tentativas sistemáticas de abafá-los. Nossa economia foi afetada e enfraquece. Não consigo ignorar as manifestações nas ruas em 2013, quando o povo do país inteiro saiu pedindo mudanças. O movimento espontâneo dos manifestantes só foi dominado pela ação ilegal e estúpida dos "black Blocs", que tinham ligações estreitas com os partidos da base aliada do governo. Os governadores, que tinham a obrigação de conter os "Black Blocs", viam suas polícias serem alvo de ofensas por parte de políticos do governo, como se a polícia fosse a causa da criminalidade. Não posso esquecer as vaias nos estádios, as obras paralisadas, os hospitais sucateados, as escolas fechadas, a violência desenfreada, o crescimento da criminalidade e do consumo de drogas. Então, como entender que o povo tenha votado em Dilma?

Parece-me que o Diferencial Delta elegeu Dilma!

O sistema de votação brasileiro, com estas urnas eletrônicas que todos os países do restante do mundo rejeitam, esconde todo o processo. Quando o povo não pode conferir o que de fato acontece, quando é mantido a distância, qualquer mágico pode tirar coelho da cartola.

Para entender melhor o que se passa e como o eleitor é enganado em sua boa fé, inclusive para entender o tal "Diferencial Delta", leia aqui:
http://almirquites.blogspot.com.br/2014/10/teste-de-votacao-paralela.html



No Brasil, política é pantomima trágica! Escrevi sobre isso: http://www.dihitt.com/n/opiniao/2014/10/23/politica-no-brasil-e-pantomima

Nossos políticos deseducam o povo, principalmente o ex-presidente Lula.

Há países honrados, honestos. Por que não podemos ser como eles?

Há uma semana, no Japão, duas ministras, que já haviam sido nomeadas, pediram demissão porque seus partidos haviam usado dinheiro público indevidamente na campanha. Sim, é corrupção, crime! 
- "Eu não sabia de nada, mas não tenho o direito de dizer isto. Peço desculpas aos japoneses." Ambas disseram isto e se retiram decididamente da política. Vejam a reportagem aqui: http://www.publico.pt/mundo/noticia/governo-japones-perde-duas-ministras-no-mesmo-dia-1673476

E o Petrolão é ainda maior que o Mensalão! Veja aqui: http://www.jogodopoder.com/blog/politica/doleiro-vai-delatar-contratos-da-eletrobras/#ixzz3HMhJJJrn


Tudo isso impressiona e há muito mais, que nem dá para citar aqui, mas que é de domínio público. Logo, é lícito perguntar: é puro acaso ou há aí uma conexão mafiosa muito ativa?

E tem bobos, ingênuos e crédulos que acham que falar de "
impeachment" é golpe. Não mesmo! O 
 "impeachment" é um direito do povo! O "impeachment" é previsto no artigo 85 da Constituição Federal e já foi aplicado a presidentes! 

   Art. 85. São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal e, especialmente, contra:
          I - a existência da União;
          II - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário, do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades da Federação;
          III - o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais;
          IV - a segurança interna do País;
          V - a probidade na administração;
         VI - a lei orçamentária;
          VII - o cumprimento das leis e das decisões judiciais.


          Parágrafo único. Esses crimes serão definidos em lei especial, que estabelecerá as normas de processo e julgamento.

A Lei 1079/50, que foi recepcionada pela Constituição de 1988, rege os crimes de responsabilidade que ensejam o processo de "impeachment". O art. 4º assim dispõe:

Art. 4º São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentarem contra a Constituição Federal, e, especialmente, contra:

II - O livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário e dos poderes constitucionais dos Estados;

(...)

VI - A lei orçamentária.

O Decreto 8637/2014 é motivo suficiente para o requerimento de “impeachment” com base no inciso II. Com o decreto despótico e a não regulamentação nos temos da Constituição, pretende-se chantagear os congressistas a aprovar a PLN 36/2014, nestes termos age-se contrariamente ao livre exercício do Poder Legislativo e, por conseguinte, age-se contrariamente ao princípio democrático. O chamado “Petrolão” será uma nova oportunidade mais imperiosa que teremos que aguardar.

Tem mais! Observe-se o inciso VI. A presidente Dilma Rousseff (PT) gastou demais e descumpriu a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o que é um crime já consumado. Sua solução, à moda petista, foi mandar para o Congresso Nacional um projeto que torna legal o que é ilegal, alterando a LDO para eliminar a meta não cumprida de superávit de 2014. Isto é agravante. Isto é mais uma infração à lei. propor a mudança da Lei em causa própria! Pretender escapar à lei de “impeachment” supramencionada com este artifício é um crime de responsabilidade!

O que a presidente fez foi buscar a cumplicidade do Congresso Nacional por meio da PLN 36/2014

Se o Congresso cai na armadilha, então, põe-se, por suas duas casas, em conluio doloso na fraude e sem qualquer possibilidade moral e política de deliberar sobre o crime de responsabilidade que ratificaram.

O Brasil anda assim, desvergonhadamente! Tristemente.


*****************************************************


Leia mais sobre este tema:




4)  Como a economia local influenciou o voto de 2014 (o Diferencial Delta se sobrepõe e não afeta esta análise)

5)  A URNA ELETRÔNICA É FALHA (alerta o Ministério Público Federal)







Veja agora o debate com um representante do TSE
AS URNAS ELETRÔNICAS E O SISTEMA DE VOTAÇÃO NO BRASIL SÃO SEGUROS?

====
____________________________________________________________________________
""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""
Aviso sobre comentários:
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos.

Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. 
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
___________________________________________________________
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa