sexta-feira, 20 de abril de 2018

Sistema eleitoral trapaceiro

 Por Almir M. Quites

Intelijumência

Embora os eleitores nem sempre se expressem de modo suficientemente claro pelas redes sociais, julgo ser evidente que a maioria deles não suporta mais a política brasileira. Ardentemente almejam não apenas uma mudança completa dos políticos, mas querem políticos que garantam uma completa reforma no sistema político, de modo que se abra a oportunidade de refundar a própria República em bases mais justas e mais transparentes, por meio de uma nova Constituição.

Frequentemente ouço eleitores dizerem que não votarão em nenhum desses políticos que estão aí hoje em cargos públicos e noto descartam especialmente a possibilidade de votar naqueles que já cumpriram seus mandados   de quatro ou oito anos   ou que façam parte de grupos dominantes ou oligárquicos.

Embora não expressem claramente, o que estes eleitores estão sentindo é que lhes roubaram o direito de escolha dos dirigentes de sua pátria. Como não podem influenciar na escolha dos candidatos, não podem apontar quem eles querem, limitam-se a dizer quem não querem. Vão votar em quem for um pouco "menos pior", porque preferem errar a se sentir cúmplices da bandidagem que rouba e dilapida os recursos públicos.

Nosso grande problema é o sistema eleitoral, que  foi feito sob medida para ser controlado pelos políticos e não pelos eleitores. O sistema eleitoral é uma trapaça geral.

Quando se analisa a real distribuição de poder no Brasil, constata-se que o país está entregue a criminosos. O seriado da TV brasileira "O Mecanismo", criada por José Padilha e Elena Soárez, mostra isso, ao menos parcialmente. Pelo que li sobre o seriado, o problema é mais abrangente do que foi ali sugerido. 

Qual é a minha visão? Explico.

A real suprema organização administrativa do Brasil tem no topo a OrCriM , a Organização Criminosa Mor, que se apoderou do Estado Brasileiro e é orbitada por uma miríade de organizações criminosas menores em muitos diferentes níveis hierárquicos e em todo o território nacional. A OrCriM é o Partido Único do Brasil. Ele engloba os demais partidos políticos, hierarquicamente inferiores e com diferentes siglas oficiais. Estes apresentam candidatos, escolhidos para garantir os interesses da OrCriM, e fazem o circo: esquerda x direita, nós x eles, coxinha x mortadela etc. A OrCriM controla o orçamento nacional e distribui os recursos públicos para a campanha eleitoral. 

O fundo partidário (R$ 888 milhões mensais) é a principal verba de manutenção dos partidos com siglas oficiais, sejam grandes ou pequenos. O fundo de financiamento de campanha (1,7 bilhão), novidade em 2018, foi criado para compensar a proibição de doações empresariais. Um partido não precisa atingir um mínimo de votos para ter acesso a esse fundo, mas quanto maior a bancada, maior sua parte. O tempo "gratuito" de TV (custo estimado de R$ 1 bilhão) serve como moeda de troca para as negociações entre partidos além de ser o principal meio de envolvimento emocional dos eleitores no processo eleitoral.

Enquanto eleitores se concentram nos candidatos para presidente ou governador, os partidos se preocupam mais com o legislativo. A estratégia de dominação é acertada entre todos eles, especialmente porque um dos objetivos é enfrentar em conjunto a reação popular, a qual se manifesta em forte apoio à Operação Lava-Jato

Todo o sistema eleitoral foi montado especificamente para que a OrCriM continue intacta, dominando o Estado.

Os eleitores vão ter muita dificuldade para escolher seus candidatos porque a farsa transforma o pleito num plebiscito de voto constrangido (voto útil). A dispersão de votos no primeiro turno facilita o impedimento de surpresas na definição do segundo turno. Cada eleitor nem perceberá que cada voto para um candidato foi, na verdade, um voto contra o outro candidato, considerado "menos pior". A campanha será deprimente, como já se pode constatar. Cada voto será muito influenciado por preconceitos, ataques pessoais, notícias falsas disseminadas por robôs sociais etc.

O eleitor brasileiro não tem qualquer possibilidade de renovar os governantes brasileiros. Quem escolhe os candidatos são os caciques políticos dos diversos partidos e são eles que possuem os recursos para a caríssima propaganda eleitoral. Todos eles fazem parte da OrCriM (Organização Criminosa Mor). Eles escolhem os candidatos pelo critério de fidelidade pessoal.

Os eleitores podem votar como quiserem. O resultado será o mesmo! Será o que for conveniente para a OrCriM.

É fácil entender como o processo é controlado pela OrCriM. Leia aqui:
DEMOCRACIA DE FAZ DE CONTA
http://almirquites.blogspot.com.br/2018/03/democracia-de-faz-de-conta.html

Todos verão que não haverá renovação alguma nas eleições de 2018 (exceto de um pai para seu filho ou parente), mas, mesmo assim, a grande maioria dos eleitores continuará iludida.

Além disso, as urnas eletrônicas são abertas a fraudes no atacado, feitas pelos que têm acesso aos seguintes softwares:
  • 1) o da urna-computador;
  • 2) o da transmissão dos boletins de urna;
  • 3) o da totalização dos boletins de urna (feita nos computadores do TSE).
Está tudo sob controle! Direita X esquerda, PT X PSDB, campanha eleitoral, debates na TV, discussões nas redes sociais (muitas induzidas por robôs), tudo isso é apenas "o circo" para manter as aparências da democracia.

As ditaduras também fazem isso. A nossa ditadura militar também o fez, quando começou a se enfraquecer.

Eu não vou votar. Vou fazer
O PROTESTO DO JOÃOZINHO
http://almirquites.blogspot.com.br/2014/05/conto-da-urna-eletronica.html

E aqui:
MANUAL DO PROTESTO DO JOÃOZINHO, versão 2018
http://almirquites.blogspot.com.br/2018/05/manual-do-protesto-do-joaozinho-versao.html


POVO ILUDIDO É POVO VENCIDO, EMPOBRECIDO!

𝓐𝓵𝓶𝓲𝓻 𝓠𝓾𝓲𝓽𝓮𝓼

Almir Quites

`°•○●□■♢《  》♢■□●○•°`



Para ler artigos sobre as urnas eletrônicas brasileiras
clique aqui

Para mais artigos deste blogue ("weblog")
Clique sobre o título.

  1. O esvair político de Lula
  2. Lula alienado
  3. A favor e contra Lula
  4. O povo julga o Judiciário
  5. Não há o que comemorar
  6. Historinha do Facebook
  7. Democracia de faz de conta 
  8. Outra lambança do STF 
  9. O voto cego do eleitor brasileiro
  10. Ascensão e queda do petismo
  11. Povo desinformado faz gol contra
_____________________________________________________
Aviso sobre comentários 
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
______________________________________________________

 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa