quinta-feira, 5 de maio de 2016

O ‘Notório Saber’ na UFSC dos Roselanes

Por José João de Espíndola, Ph.D, Dr. H.C. - 24/03/2016

O objetivo deste artigo é mostrar apenas um aspecto da deterioração intelectual da UFSC que, de instituição essencialmente acadêmica, passou a terreiro de pelejas políticas, ideologias retrógradas, populistas e deletérias como o governo do PT que tanto mal causou e causa ao Brasil, onde vence sempre o mais medíocre (nas últimas eleições não houve e exceção), o mais “populista”, “progressista” e “democrático”, coisa estranha às melhores universidades do mundo.

O artigo abaixo mostra apenas um aspecto do ridículo a que somos submetidos por conta desta politicalha, que distorce o verdadeiro e histórico sentido da universidade.

José J. de Espíndola.


O ‘Notório Saber’ na UFSC dos Roselanes

José J. de Espíndola*

Com relação ao exposto e mesmo que o requerente não tenha obtidos pontos nos critérios: a) livro publicado com autor único; b) coautoria de livro publicado nos termos do item anterior; c) trabalhos publicados em periódico credenciado ou em anais de Congressos; d) relatórios de pesquisas publicados por Instituições de alto conceito; ... sou de parecer favorável, salvo melhor juízo, ao reconhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina de Notório Saber no campo da Educação a Norival Moreira de Oliveira (Mestre Nô), referência mundial na prática e oralidade da capoeira, legitima manifestação da cultura corporal humana.

(Trecho do Parecer de Prof. Prof. Edison Roberto de Souza, Diretor do Centro de Desportos/UFSC, aprovando o reconhecimento de Notório Saber ao Mestre Capoeira, Norival Moreira de Oliveira.)


Maravilha! A quanto evoluímos como instituição universitária! (O verbo “evoluir” é usado aqui no sentido de “transformar”, não necessariamente para melhor).

Agora só falta o ex-campeão de MMA, Anderson Silva, the Spider, requerer Notório Saber, que a UFSC certamente concederá, pelas mesmas razões que o concedeu a Mestre Nô, o capoeirista baiano Norival Moreira de Oliveira. Sendo Anderson de cor preta, o reconhecimento fica mais fácil, já que a UFSC, como diz o relator, terá mais uma “oportunidade de superar as resistências segregacionistas do povo do sul...” Assim a cor preta e a região nordestina de origem do pleiteante - vejam como evoluiu a UFSC - são agora partes relevantes do currículo para o reconhecimento do Notório Saber.

Anderson Silva, a exemplo do atual relatado, tem notório saber do ofício, reconhecido internacionalmente, e ministra cursos e treinamentos mundo afora. Além de tudo, Anderson Silva é preto, certo? Não estou seguro de que seja nordestino, mas talvez isto até seja relevado ante o seu pujante (embora não escrito) currículo de disseminador do MMA, antigo Vale Tudo, inventado no Brasil, renomeado, apropriado e aculturado pelos norte-americanos.

Claro, como o atual relatado, Anderson não gerou qualquer literatura que documente seu notório saber, não produziu arte permanente, mas isto é irrelevante, conforme o sábio Parecer, exarado no sábio CUn (Conselho Universitário da UFSC) por um sábio membro. E por aquele colegiado sabiamente aprovado!

Eis a nova UFSC dos Roselanes**, sábia e, além de tudo, uma universidade democrática, popular e progressista.

Mas Anderson Silva é apenas um entre os muitos que a UFSC, através do seu notório, mas nada notável Conselho Universitário, consideraria dono de notório saber. Cito ainda, só para constar, outro lutador de MMA, Antônio Rodrigo Nogueira, o Minotauro, exímio conhecedor e divulgador do ofício e dono de academias para o ensino e propagação da arte da porrada. Minotauro deixou recentemente de lutar e passou a trabalhar como como embaixador do UFC*** Brasil, com a missão de desenvolver lutadores de MMA para a competição, o que demonstra o reconhecimento internacional do seu notório saber do ofício. Minotauro nasceu em Vitória da Conquista, Bahia, no nordeste brasileiro, o que ensejaria à UFSC, mais uma vez, caso requeresse o reconhecimento de Notório Saber, a “oportunidade de superar as resistências segregacionistas do povo do sul...”, preocupação maior do atual relator.

O homem se reconhece por sua obra, que deixa para a posteridade, segundo Ingenieros? Tolice, a UFSC sábia, democrática, popular e progressista dispensa tudo isto. Nela a obra documentada e permanente deixa de ser relevante e pode mesmo não existir, que esta exigência parece coisa de elitista burguês. Mesmo que a ‘obra’ caracterizadora do notório saber desapareça com a morte do ‘notório sábio’ e que as pessoas futuras não possam compulsá-la – porque não mais existe - a UFSC sábia, democrática, popular e progressista, diz que isso não é relevante. Que vá às favas, José Ingenieros.

A missão da universidade é, desde a Idade Média, gerar, guardar, sistematizar e difundir conhecimento (obviamente tudo documentado, sem o que a missão se torna impossível). Pois a UFSC dos Roselanes (a atual e o próximo) houve por bem alterar esta tradição secular, praticada desde a Idade Média na Universidade de Bolonha. De agora em diante, não há mais necessidade de - documentada e permanentemente - se gerar conhecimento, guardar e sistematizar conhecimento e difundir o conhecimento para conseguir o reconhecimento da UFSC: basta que, por um obscuro processo democrático, popular e progressista, mas ‘notoriamente’ sábio, se conclua que alguém tem – sem objetivamente ou documentadamente demonstrar - notório saber. Ajuda muito se for preto e/ou nordestino.

E que vá às favas Universidade de Bolonha!

=======

* José J. de Espíndola, Ph.D., Dr.H.C., é Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado. É doutorado pelo ISVR, Institute of Sound and Vibration Research, da Universidade de Southampton, Inglaterra. Produziu uma obra considerada de valor pela comunidade acadêmica internacional, possui algumas patentes, uma delas norte-americana e outra europeia. Por não ser nordestino nem preto (nada é perfeito!) jamais se encorajou a requerer à UFSC o reconhecimento de Notório Saber.

** Para entender a expressão “UFSC dos Roselanes”, leia-se meu texto intitulado “Shakespeare e Roselane”, devidamente documentado (epa!) em:

*** UFC, Ultimate Fight Competition




__________________________________________________
"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""
Aviso sobre comentários:
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos.

Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. 
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!

""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa